1*Q2tRNxRjs-3kL6hj3H21Gg

Trabalhar com conteúdo musical é sempre uma mão de duas vias (se não mais). Por um lado é maravilhoso poder ter a oportunidade de conhecer músicas incríveis de artistas que não são tão conhecidos por aqui e dos mais diversos gêneros. Sempre fui curiosa pra ir atrás das coisas e isso não é segredo pra ninguém: quanto mais informação, melhor. Por outro ângulo esse excesso de informação influencia e meio que atrapalha quem quer montar um set de gênero específico (como eu, que tô tentando há meses me preparar pra fazer um).

Hoje é mais um dia daqueles, que a gente senta pra trabalhar, começa a ler o feed de notícias e dá de cara com uma que me chamou a atenção por um remix do Matador (que eu amo), mas que me ganhou pelo Jon Hopkins. Estes, entre outros artistas como o A-Trak, estão realizando alguns remixes para o novo álbum do Disclosure chamado ‘Caracal’. O duo de irmãos sempre deixou bem claro suas intensões para com o lado pop da música e trabalham de modo que suas produções para este lançamento caibam muito mais nas rádios do que nas pistas. Para isso escolheram parcerias fortes como Lorde, para a incrível “Magnets”.

 

Daí ficou muito interessante para produtores undergrounds darem a sua cara para essas músicas e então elas cabem nas pistas dos clubs (que é o que a gente gosta, né? rs).

“Magnets” já é linda por natureza e a voz poderosa da Lorde deu equilíbrio a suavidade da melodia. Mas o produtor britânico Jon Hopkins resolveu dar a cara totalmente oposta da original para o seu remix: a melodia tomou uma atmosfera obscura e os vocais da Lorde suavizaram e tornam-se quase inexistentes.

E é aí que você percebe quando um produtor musical é bom ou bacana de verdade. Hoje em dia eu vejo tanta gente querendo pegar um EDM e fazer um bootleg do mesmo gênero. Ou pegar uma música que já tá super bombada e dar uma versão eletrônica, mas que será pop de qualquer forma.

Chover no molhado é muito fácil. O que nós precisamos (em especial o público massivo brasileiro) é de gente que traga o novo, o diferente, o inusitado. Educação musical.

Esse povo precisa da mesma emoção que eu senti — sóbria — ao ouvir esses dois universos de “Magnets”.

Texto: Camila Gialmelaro https://www.facebook.com/blogdakmillah/
https://medium.com/@k.millah/

Deixe um comentário

CAPTCHA
Change the CAPTCHA codeSpeak the CAPTCHA code
 

Free website traffic