Tomorrowland-vale-esteChegou ao final, na madrugada deste domingo (24-abr) na cidade de Itu (SP) do Festival de música eletrônica o Tomorrowland Brasil 2016. Foram 36 horas de muita música durante três dias. Nesse sábado (23), foi realizado o último dia do festival Tomorrowland e os fãs que compareceram nesse último dia tiveram momentos que jamais vão esquecer, um festival épico.

A segunda edição do Tomorrowland, que aconteceu entre os dias 21 e 23 de abril no Parque Maeda, em Itu. Com os portões abrindo às 13 horas, os fãs já se direcionaram para o evento onde acompanhariam grandes nomes do House, Techno, Deep House.

Entre os nomes famosos desta segunda edição no país estavam o brasileiro Alok, Yves V, David Guetta, Axwell / Ingrosso, Afrojack, Armin van Buuren,  Steve Angello , Alesso e Dimitri Vegas & Like Mike.

Confira abaixo alguns Dj’s de cada dia:

Quinta-feira- (21/04):

DJ Alok: O DJ brasileiro se apresentou no palco principal, com batidas fortes que levantaram o público com vários de seus sucessos, como a faixa “We Are Underground”.

Laidback Luke: O palco onde todos tocam vestidos de personagens da cultura pop foi um dos mais animados do festival. Por lá passaram Wolverine e Superman (Sunnery James & Ryan Marciano), Walter White (Inpetto) e Laidback Luke. Vestido de Sr. Incrível, o DJ tocou um set que foi desde a trilha sonora de Rei Leão, à “Turn Down for What”, sempre misturando tudo com muitos graves.

Khoma: O colombiano Khoma mostrou que entende de trance e contagiou o Full On Stage com um set equilibrado e forte que agradou muito ao público.

David Guetta: O DJ encerrou o primeiro dia de festival e teve a seu favor a queima de fogos ao final de sua apresentação. Guetta mostrou versatilidade ao misturar suas faixas, como Titanium e Play Hard, às puramente eletrônicas. Para encerrar Guetta, fez uma homenagem à Prince, que foi morreu na quinta-feira.

Sexta-feira- (22/04):

DJs Armin van Buuren, W&W, Sunnrey James & Ryan Marciano: Um dos grandes momentos do evento, o chamado back to back (b2b) fez DJs tocarem juntos sem conhecimento da faixa que o outro irá tocar na sequência. A apresentação foi uma surpresa preparada pela organização do festival e aprovada pelo público.

Armin van Buuren: O DJ conseguiu misturar algumas faixas de sua carreira trance com as músicas de apelo mais radiofônico. Uma apresentação irretocável para anunciava que estaria no festival para se divertir.

Afrojack: O DJ abusou do grave, fazendo o chão tremer. O DJ também homenageou o cantor Prince em um relance mais lento em meio ao seu set sonoro.

Sábado- (23/04):

Romeo Blanco: O DJ e produtor belga Romeo Blanco surpreendeu a plateia com um remix de “Tá Tranquilo, Tá Favorável”, de MC Bin Laden. A música mexeu com o público que respondeu de imediato.

H.O.S.H.: O DJ alemão foi um dos destaques do início da última noite do Tomorrowland Brasil. Com um set cheio de graves e melodias cortantes.

Blasterjaxx: Os DJs vindo de Haia, Países Baixos agitaram a plateia com versões para vários hits pop, como “Gasolina” e “Ain’t Nobody”

Dimitri Vegas & Like Mike: Os irmãos belgas encerraram a última noite do festival, que agitaram muito o público com muito grave e emocionaram todos com uma homenagem ao cantor Prince. Apaixonados pelo Brasil, a dupla classificou a edição brasileira do Tomorrowland como um “universo paralelo”.

Alguns pontos foram observados durante o Tomorrowland Brasil 2016:

Mesmo no calor sem trégua de Itu, para boa parte não faltou disposição para curtir até o último dia: no sábado, o Tomorrowland continuava lotado. Alguns pontos foram observados por alguns fãs durante a sua segunda edição Brasileira. Confira abaixo quais pontos foram esses:

Pontos positivos:
– O sistema “cashless” para compra de bebidas faz toda diferença. Em vez de andar com dinheiro ou enfrentar filas enormes para adquirir fichas, o público podia recarregar suas pulseiras com as chamadas “pearls” compradas por cartão de crédito, em casa ou em terminais no próprio festival, e retirar as bebidas direto nos vários bares espalhados por lá.

– Muitos banheiros e boa sinalização interna também merecem destaque.

– E vamos lá, a música: mesmo com um palco a menos em relação ao ano passado, o festival entrega o que promete: havia diversos nomes bem conhecidos no mainstream (David Guetta, Armin van Buuren, Alesso, Axwell & Ingrosso, Afrojack, só para citar alguns) e outras novidades interessantes fervilhando nos palcos menores, com outras vertentes além do “padrão EDM”. O brasileiro Alok, que se apresentou na quinta-feira, foi bastante elogiado.

13096223_861962777243238_2688567700968117177_n

Desde o início da tarde do primeiro dia, o público já tomava conta do Parque Maeda, em Itu. Enquanto alguns aproveitavam as apresentações, outros renovavam as energias.  O forte calor que atingiu o estado levou o público, mais uma vez, para o Pool Stage – o espaço entrou na programação oficial este ano. O calor de mais de 30ºC fez o ‘Pool Stage’, ou ‘Palco da Piscina’, ficar lotado durante a tarde

Em relação ao festival:

O Tomorrowland Brasil deste ano teve uma queda no número de palcos e de DJs. Alguns fãs reclamaram logo no primeiro dia do festival de uma falta de água intermitente nos chuveiros do acampamento – onde quatro minutos de água corrente custavam 4 “pearls”, a moeda adotada no Tomorrowland no novo sistema cashless. Uma pulseira magnética, ou um cartão, servem como moeda de troca dentro do Parque, num sistema pré-pago, e cada pearl custa R$6,25.

Não que o festival tenha sido ruim. Muito pelo contrário. A produção atuou de forma impecável ao solucionar alguns dos problemas que mais prejudicaram a edição passada: o acesso de entrada e saída da Fazenda Maeda parece que foi tranquilo (em determinado período), com pouco congestionamento. Parece que o serviço dos bares e alimentação estava confortável, graças ao novo sistema cashless, que permitia comprar bebidas e comidas pela pulseira que funcionava como um cartão de débito.

O Tomorrowland buscou trazer as recompensas nas surpresas musicais: o palco Warung, um dos mais disputados do primeiro dia, encerrou-se pelo menos 1 hora mais tarde que o previsto. No segundo dia, foi a vez de um back 2 back histórico entre os holandeses Armin van Bureen, Sunnery James & Ryan Marciano e W&W esticar o fim do Main Stage. E DJs como David Guetta e Laidback Luke fizeram merecidas homenagens em seus sets ao astro da música pop Prince, falecido na última quinta-feira (21), aos 57 anos.

O Tomorrowland entregou, novamente, um festival incrível. Os problemas observados acontecem também em qualquer festival de primeiro mundo. A transmissão do Multishow ajudou a apresenta-lo para mais pessoas e tudo indica que a 3ª edição do festival promete ser ainda mais popular que as duas primeiras.

Os ingressos não venderam em sua totalidade. Consequência direta do difícil momento econômico do país, o que justifica, também, a reduzida quantidade de atrações e de patrocinadores em comparação com 2015. Apesar de todas as adversidades, o festival ficou marcado pela eficácia operacional em comparação à sua primeira edição, melhorando sensivelmente seus serviços (inclusive e especialmente o acesso e saída do festival).

⇒ Se você ainda não conferiu a  nossa matéria no qual fala – Tudo Sobre o Tomorrowland Brasil – , não deixem de conferir essa matéria super completa aqui no site: COMFORT CLUB , basta clicar e você sera direcionado a matéria.

⇒ Continuem nos acompanhando no site e nas redes sociais. – Facebook –

Deixe um comentário

CAPTCHA
Change the CAPTCHA codeSpeak the CAPTCHA code
 

Free website traffic