Manter-se no topo competitivo por anos já é complicado. Imagina por décadas. Esse é o desafio do produtor musical e cultural Raul Mendes, mais conhecido por Pirate Snake.

Mas você deve se perguntar: produtor musical e cultural? É exatamente nisso que se baseiam os 20 anos de atuação de Raul, que começou a tocar em 2001 e, alguns anos depois, a produzir eventos pela deficiência do setor em sua cidade.

Em paralelo a sua carreira artística, que desde o início já passou por algumas trocas de pele, Raul sempre atuou de forma direta no crescimento e posicionamento da cena da música eletrônica de Brasília. Talvez, se não fosse por ele, os maiores nomes do mundo não teriam tocado por lá, e novos nomes também não teriam passado pelo município. Ele fundou o festival Federal Music e é sócio produtor da Xxxperience BrasíliaWarung BrasíliaFuture Space Festival e inúmeros outros eventos. Além disso, foi curador artístico dos maiores clubes que já passaram pela cidade.

A parte artística de Raul, que desde 2001 vem sendo aflorada, começou com Psytrance, que era o que o DJ e produtor tinha acesso na época, mas sua alma sempre esteve ligada à House Music. O despertar começou em 2007, após assistir e se emocionar inúmeras vezes com o DVD “Big Beach Boutique 2”, do Fatboy Slim. Mas foi somente após uma viagem para o Tomorrowland da Bélgica, uma temporada em Ibiza e em algumas outras cidades europeias que Raul voltou decidido a fazer o que estava surgindo com força por lá: EDM e Progressive House. Sendo assim, ele foi o pioneiro do segmento em sua cidade e um dos primeiros do Brasil, tocou em todas as edições brasileiras dos festivais Tomorrowland, Ultra e em várias edições da Xxxperience, Federal Music, Universo Paralello, e inúmeros outros festivais, bem como em clubes e tours internacionais.

Entre 2017 e 2018, Raul já estava fazendo um som bem mais “tranquilo” e focou no Tech House. Só que a “conta não fechava”, pois seu nome estava muito ligado e estigmatizado ao EDM, o que atrapalhava em algumas contratações. Foi quando levou um ultimato do diretor artístico do Green Valley: aquela seria a última participação de Raul Mendes como Raul Mendes. Foi no palco alternativo do clube, o UNDERLINE_ que Raul tomou coragem de fazer o que estava desenhando a algum tempo: sua mais nova troca de pele.

Em janeiro de 2019, lançou o projeto PIRATE SNAKE, que mesmo com pouco mais de dois anos – sendo 15 meses deles dentro de uma pandemia, sem shows -, ele conseguiu assinar com várias das maiores gravadoras do planeta, como Spinnin’ , Toolroom, Night Service Only, Hub, Smash The Hoise, Box Of Cats, Kitball, Hood Politics, Rawsome, Low Ceilling, LouLou e muitas outras, atingindo o até o momento mais de 3,5 milhões de streaming em somente uma plataforma, o Spotify.

E o melhor ainda está por vir: Raul está só esperando o retorno efetivo para soltar oficialmente o que ele chama de Pirate Snake 2.0. Portanto, fique de olho nesse projeto, porque “a cobra vai fumar”.

Deixe um comentário

CAPTCHA
Change the CAPTCHA codeSpeak the CAPTCHA code
 

Free website traffic