Considerado um dos principais projetos de música eletrônica nacional, o Dirtyloud foi referência para uma geração e fez história, bombando mundialmente com a sonoridade que o tornou reconhecido, o eletro house. Foram 16 países pelos quatro cantos do mundo, além de apresentações por todo o Brasil, com agenda lotada. No currículo, Lollapalooza, Universo Paralello, Tomorrowland Brasil, só para citar alguns.

Agora, o DJ e produtor mineiro Marcus Vinícius, nome por trás do projeto, dá início a uma nova fase após três anos estudando e renovando o seu som, buscando nova sonoridade para entregar ao público e, principalmente, que renovasse o seu fôlego. “Uma vez li uma parada do Porter Robison que era exatamente sobre isso. Porque eu não tô feliz com o que eu estou fazendo, porque quando eu escuto as músicas de outros artistas vem uma sensação maravilhosa e quando escuto a minha acho que não tô conseguindo chegar lá? ”.

A resposta veio através de um som mais maduro que trouxe de volta as raízes do artista, o house. Marcus começou a tocar com 12 anos, influenciado por nomes como Steve Angello e Axwell. “Eu nunca toquei outro estilo além do house, comecei nele, fui para o eletro house, que é um subgênero, e sempre toquei um pouco de tudo, tech house, prog house, até porque as influências hoje são misturadas. Então, foi basicamente isso que me levou a essa mudança”, comenta.

E a primeira faixa que marca essa virada de chave é “Running Back”, lançada no início de janeiro pela gravadora do Hardwell, a Revealed Recordings. A track já está entre as 10 primeiras do ranking New Coming Tracks e entre as 100 Overall do 1001Tracklists, com suporte do próprio label boss em seu programa Hardwell On Air. A nova pegada propõe um house sofisticado, mas, sem perder a vibe pra cima e dançante, característica do Dirtyloud e marca do projeto. “Acho que consegui fazer algo que ainda não vi por aí, algo meu. Estou me divertindo e fazendo o que eu gosto. Tô feliz! ”, conta o produtor que já trabalhou com deadmau5, Calvin Harris, Shakira e Yoko Ono.

O artista também já tem quatro remakes prontos, de músicas que marcaram a sua carreira dentro e fora da música eletrônica e que conversam com essa retomada house repaginada do produtor. Entre os hits escolhidos estão músicas de David Guetta, Erick Morillo e Chris Lake.

No dia 4 de fevereiro, Marcus tem lançamento agendado pela russa Mixfeed e já aguarda a data de uma faixa inédita que sairá pela gravadora do prodígio Wh0, que dominou as paradas internacionais no ano passado. Para somar o pacote de novidades, ainda tem documentário chegando por aí. “O documentário é a respeito da carreira de DJs. Passo as minhas experiências, ideias, o que eu vivi. Tô bem empolgado”, revela o artista que ainda não viu a produção finalizada, mas, garante que trará uma mensagem inspiradora para quem está começando e que almeja alcançar os seus sonhos.

Feliz com seu novo som, fazendo o que gosta, se divertindo e curtindo muito essa retomada, o que o Marcus de hoje diria para o de 2008? “Eu diria exatamente para continuar fazendo o que fiz lá no início. Praticar e plantar o bem, o amor, a empatia, se aliar a pessoas de energia positiva, se afastar de quem só critica os outros e focar no trabalho”, afirma o produtor que acredita que isso não tem nada a ver com business, mas, com a capacidade que a música tem de transmitir esse estado de espírito e trazer resultados.

Sem saber quando as pistas estarão liberadas, Marcus segue focado na produção musical e já tem turnê internacional à vista, com datas no Canadá e nos Estados Unidos.

Deixe um comentário

CAPTCHA
Change the CAPTCHA codeSpeak the CAPTCHA code
 

Free website traffic